10 de março de 2011

Curiosidades: A História do Esmalte

Colaboração Anastasia Nahas

Vocês sabiam que a idéia de pintar as unhas vem desde 3.500 a 3.100 a.c.? Pois é, no Egito as egípcias tingiam as unhas de preto (henna). Naquela época os "esmaltes" eram feitos de goma arábica, clara de ovo, gelatina e cera de abelhas. De secagem lenta, a película que se formava sobre a unha absorvia a poeira e saía com facilidade. As cores do esmalte passaram a indicar a classe social do indivíduo: os tons claros eram usados por mulheres de classes mais baixas e os tons intensos, pela nobreza.
Cleópatra, que não era tãããão bela assim, criou uma lei determinando que ela seria a única autorizada a usar unhas pintadas de vermelho e, segundo a história, uma severa punição poderia ser aplicada para quem desobedecesse sua ordem, a infratora podia até ser executada.
Em 1830 na Europa, Dr. Sitts desenvolve o palito de laranjeira, cuja função era empurrar a cutícula sem ferí-la. Antes desse invento usavam tesouras e até ácidos, absurdo, não?!
Em 1925 finalmente foi lançado o primeiro esmalte de unha: transparente e em tom rosado. Ele é aplicado no meio das unhas – a meia lua e a ponta das unhas ficavam nuas. Para a responsável pela manicure na Metro Golden Mayer (MGM), então o estúdio de cinema mais popular dos Estados Unidos, Beatrice Kaye, os anos 20 e 30 eram os anos da manicure estilo meia lua. A cutícula era removida e a unha preenchida apenas ao centro. 
1932 - Charles e Joseph Revlon, dois irmãos americanos, unem-se a um químico e criam o esmalte brilhante e colorido com pigmentos, para ser aplicado na unha toda. Nasce a marca Revlon. Eles promovem pela primeira vez a tendência de maquiar os lábios e unhas da mesma cor.
1934 - O “Esmalte Líquido para Unhas” da Max Factor é introduzido no mercado, apresentando uma textura similar aos esmaltes atuais. A empresa começa a usar um número ilimitado de pigmentos e a moda passa ser esmaltes que combinavam uma boa cobertura da unha com brilho uniforme.

1.970 - Começa a década dos esmaltes sintéticos. As unhas tornam-se extremamente longas através de várias técnicas e estão na última moda. No Brasil, Paulo e Edison Scroback (pai e filho) fundam a Impala, em São Paulo, empresa brasileira de esmaltes que se especializou no tratamento e beleza das unhas.

Os esmaltes acrílicos, na década de 80, são sucedidos pelos esmaltes de “fyber glass”. A decoração das unhas não é mais limitada aos esmaltes – pedras preciosas e vários acessórios entram em uso.

Hoje, no século XXI, tudo é possível, esmaltes 3D, craquelados, strass, piercings, inúmeros tipos de desenhos e até impressões para unhas. Ou seja: o mercado dos esmaltes não tem limite! E você, o que você usa para adornar suas unhas?!

Um comentário: